Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Tocando agora: Carregando...

No comando: BENEDITO CAETANO – BRASIL SERTANEJO

Das 8:00 as 10:00

neizinho
No comando: NEIZINHO ROBERTO – Brasil Caboclo

Das 05:30 as 07:00

centenarionoticias
No comando: CENTENÁRIO NOTÍCIAS

Das 07:00 as 08:50

No comando: CELSO CARLOS e PARDAL – Saudade Jovem

Das 07:00 as 09:00

Bruno
No comando: BRUNO BAPTISTA – As Mais Mais da Centenário

Das 08:50 as 12:00

No comando: CELSO CARLOS e CLÉIA REGINA – Balancê

Das 10:30 as 12:20

flash1
No comando: FLASH NEWS 1º EDIÇÃO

Das 11:00 as 11:15

lourdes
No comando: LOURDES FORTE – Gospel Mix

Das 12:00 as 13:00

BRUNO PORTO
No comando: BRUNO PORTO – Show da Tarde

Das 13:00 as 15:00

flash2
No comando: FLASH NEWS 2º EDIÇÃO

Das 15:00 as 15:15

Julio Bueno
No comando: JULIO BUENO – Revista Musical

Das 15:15 as 17:20

No comando: PAULINHO RIBEIRO – CIRCUITO DE RODEIO

Das 16:00 as 19:00

dilsinho2
No comando: DILSINHO CARMANHANI – Viola Viva

Das 17:20 as 19:00

Voz do Brasil
No comando: A VOZ DO BRASIL

Das 19:00 as 20:00

No comando: VINÍCIUS e AUGUSTO

Das 20:00 as 21:30

nardao
No comando: REGINALDO FERNANDES – Interligados

Das 20:00 as 22:00

celsinho
No comando: CELSINHO TABATINGA – Batidão Sertanejo

Das 20:00 as 22:00

Pesquisa revela que um em cada três brasileiros teve um amigo ou parente assassinado

Compartilhe:
dados

Segundo o estudo, divulgado hoje, são cerca de 50 milhões de brasileiros maiores de 16 anos que perderam uma pessoa próxima vítima de homicídio ou latrocínio.

 

Um em cada três brasileiros (35%) teve amigos ou parentes assassinados, revela pesquisa do Instituto Datafolha, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O índice dos que tiveram familiares ou amigos mortos violentamente é maior entre os negros, 38%, enquanto entre os brancos é de 27%.

O levantamento mostra ainda que 12% da população maior de 16 anos, cerca de 16 milhões de pessoas, tiveram alguém do circulo afetivo morto por um agente de segurança, policial ou guarda municipal.

Entre os jovens, de 16 a 24 anos, esse percentual chega a 17%. O levantamento revela ainda que foram vítimas de ferimentos com armas de fogo 4% dos entrevistados, o que representa na projeção populacional de 5 milhões de indivíduos com mais de 16 anos.

As vítimas de facas e outras armas brancas somam 8%, ou 10 milhões de pessoas. Além disso, 12% dos ouvidos disseram ter sofrido ameaças de morte.

 

Fonte: Ibitinga Diário

Deixe seu comentário: